Fale Conosco: (61) 9.9592-3632 (WA)

BOLSONARO FAZ DISCURSO DE ÓDIO CONTRA A ESQUERDA NO PIAUÍ

Foto: Alan Santos/PR
Publicidade

Em um discurso típico de ditador, durante ato na cidade de Parnaíba, no Piauí, Jair Bolsonaro falou em “acabar” com os comunistas e “mandar essa cambada” para a Venezuela ou para Cuba; “O cocô é essa raça de corruptos e comunistas. Nas próximas eleições, vamos varrer essa turma vermelha do Brasil”, atacou; para o PSOL, “Bolsonaro adere à mesma fórmula usada pelas ditaduras latino-americanas, pelo nazismo, pelo macartismo”.

Em um evento político para celebrar o aniversário da cidade de Parnaíba, no Piauí, onde foi inaugurar uma escola com seu nome e homenagear um militar, o presidente Jair Bolsonaro fez um discurso típico de ditador nesta quarta-feira 14. Fala similar já havia sido feita por ele durante a campanha presidencial, quando falou em “metralhar a petralhada”.

Nesta quarta, Bolsonaro falou em “acabar” com os comunistas e “mandar essa cambada” para a Venezuela ou para Cuba. Em seu discurso, ele também voltou a ofender o Nordeste e a falar em “cocô”, como fez na última segunda-feira 12, quando sugeriu que o brasileiro alternasse os dias para fazer cocô como medida de preservação do meio ambiente.

“O Mão Santa me disse agora há pouco que nós vamos acabar com o cocô no Brasil. O cocô é essa raça de corruptos e comunistas. Nas próximas eleições, vamos varrer essa turma vermelha do Brasil. Já que na Venezuela está bom, vou mandar essa cambada para lá. Quem quiser um pouco mais para o norte, vai até Cuba, lá deve ser muito bom também”, declarou no Piauí.

Ele também chamou de “bandidos de esquerda” os integrantes da chapa de centro-esquerda na Argentina, Alberto Fernández e Cristina Kirchner, que venceu as primárias contra o presidente Mauricio Macri. E disse que o país está “mergulhado no caos”, mas não por conta das medidas neoliberais de Macri, e sim porque a chapa da oposição estaria voltando a comandar o país.

Alê Moraes

Editor Chefe
Jornalista, Editor, Programador, Apresentador, Repórter. O compromisso com a verdade e a narrativa real dos fatos mediante apuração, fazem da profissão uma dura realidade do cotidiano.
Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

PUBLICIDADE

ÚLTIMA POSTAGEM