Fale Conosco: (61) 9.9592-3632 (WA)

CAIADO: MARÇO SERÁ O PIOR MÊS DA PANDEMIA EM GOIÁS

Foto: Secom-GO
Foto: Secom-GO
Publicidade

Em coletiva dada a imprensa nessa segunda-feira (22) O Governador do Estado de Goiás afirmou: “março será o pior mês, que vamos enfrentar a COVID-19 com essas variantes, que chegaram até nós!”.
O Governador que vem recebendo e conversando com os prefeitos de todas as cidades goianas, vem desde a semana passada pedindo compreensão do povo de Goiás e atenção nas cidades em que aparecem em vermelho do mapa de infecção por coronavirus no estado.
“Peço que mantenham o uso de máscara, o afastamento, higienização das mãos, porque a demanda está sendo maior que na primeira onda”, sempre ressalta isso em seus discursos.
Ronaldo Caiado (DEM-GO) foi o primeiro governador a decretar Lockdown no início da pandemia, o que segurou em muito os casos de contaminação no Estado de Goiás, porém com os leitos hospitalares sobrecarregados, vê-se novamente a necessidade de parar a capital e os municípios que formam o cinturão ao redor do Distrito Federal.
A nova variante e a mais perigosa foi encontrada em paciente da cidade de Luziânia, que fica aproximadamente 55 km do centro de Brasília e preocupam as autoridades de saúde do Ministério da Saúde.
Porém não foi visto nenhum esforço de conversação entre o Governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB-DF) e o Governador de Goiás, uma vez que quando há problemas de calamidade pública em saúde a população do entorno, procura ajuda hospitalar nos hospitais do DF.
Águas Lindas de Goiás com quase 300 mil habitantes só tem dois respiradores e alguns leitos de enfermaria disponível para atender os pacientes de COVID-19 na cidade, o que preocupa em muito a população Aguaslindense. Porém temos visto nos últimos dias um descaso com a fiscalização do Decreto Municipal 1063/2021, que determina proibição de festas com mais de 100 pessoas e com uso de máscaras de acordo com as normas dos departamentos de saúde.
Vários flagrantes de final de semana são postados nas redes sociais, festas clandestinas nas chácaras da região, pratica indiscriminada de atividade esportiva coletiva com aglomeração de pessoas. Essa tem sido a triste realidade na cidade.
Caiado abriu mais 50 leitos no esforço de a expansão da doença no Estado, mas com tudo isso Goiás já está a mais de 8 dias dentro das capitais com risco de colapso no sistema de saúde. “Se não tivermos a contrapartida da população, fica difícil. Já disse e repito: há limitação, principalmente das nossas equipes na área de saúde. Estão estafadas, sobrecarregadas, alguns não suportam a carga do volume de trabalho e isto tem sido um fator extremamente preocupante”, Afirmou o Governador.
O Governador ainda disse que, o Ministério Público de Goiás fará fiscalização das ações dos prefeitos mediantes as recomendações da Secretaria de Sáude de Goiás, publicada semana passada durante a Live do Governador.
Tudo isso pode mudar de acordo com os parâmetros de região em região, depois que o Governo implantou novo sistema de acompanhamento dos casos no estado.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

PUBLICIDADE

ÚLTIMA POSTAGEM