O Sada Cruzeiro, maior campeão da Superliga masculina de vôlei, anunciou recentemente o afastamento do jogador Wallace. Isso ocorreu após ele incitar a violência contra o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, em uma postagem no Instagram. O anúncio do afastamento foi primeiro veiculado pelo jornal ‘O Tempo’, pertencente ao grupo patrocinador da equipe. Em seguida, foi confirmado pelo clube Cruzeiro.

Mais cedo, o Sada Cruzeiro se posicionou apenas repudiando a postagem, pois a postura do jogador foi duramente criticada nas redes sociais e muitas pessoas pediram sua demissão. A mudança de postura veio por determinação do patrocinador Master, que exigiu a suspensão do jogador e um pedido de desculpas nas redes sociais. Só então o Cruzeiro confirmou a suspensão em seu site, justificando que o afastamento e a suspensão são previstos no contrato e cobrando uma retratação e pedido de desculpas do jogador.

Segundo a nota divulgada pelo clube, ‘o Sada Cruzeiro está atento aos desdobramentos e está tomando providências diante do fato. Exigiu-se plena retratação e pedido de desculpas a todos que se sentiram ofendidos com as postagens. Conforme previsto, o Wallace será punido com afastamento e suspensão por tempo indeterminado, a partir desta terça-feira.’ O clube considera o episódio como ‘mau uso das redes sociais’ e espera que ‘sirva de aprendizado para todos, com uma reflexão sobre o uso consciente das redes sociais e da responsabilidade de cada um em disseminar bons valores.’

A postagem foi criticada pelo Ministro Chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Paulo Pimenta. ‘Já acionei a AGU e vamos tomar todas as providências necessárias. Não vamos tolerar ameaças feitas por extremistas e golpistas’, escreveu ele.”

A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Vôlei (STJDV) decidirá hoje se oferecerá uma denúncia contra o jogador Wallace, do Cruzeiro. O jogador fez uma postagem em uma rede social ameaçando atirar no presidente Lula, mostrando-se armado com uma arma calibre 12. A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) encaminhou o caso para a Procuradoria. De acordo com o Procurador Fábio Lira, o ofício será analisado ainda hoje e, dependendo da análise, pode ser encaminhado para o tribunal para a denúncia ou arquivamento. Lira frisa que, para haver denúncia, o jogador precisa ter cometido alguma indisciplina relacionada ao esporte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *